A casa é sua

Um blog para quem adora viajar e planejar viagens



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Santorini: entenda onde é melhor se hospedar

por Marcelle Ribeiro

Santorini é, muito provavelmente, a mais famosa das ilhas gregas. É para lá que vão os turistas que querem ver o sol se pôr no mar, num dos visuais mais fotografados ever. É para lá também que vão os casais em lua-de-mel e centenas de turistas que passeiam pela Grécia de cruzeiro.

A ilha é mesmo de tirar o fôlego. Não pelas suas praias, porque elas são de pedra escura, o que dá a impressão de que a água não é tão transparente como as de outras ilhas gregas. Santorini é hipnotizante pela vista do alto da caldeira. Mas como assim? Caldeira? Pois é. Eu explico.

Santorini é foi formada a partir de um vulcão, que entrou em enorme erupção em 1450 a.C. Com as explosões, uma enorme cratera se formou e a água invadiu o meio da ilha. Hoje, Santorini tem a forma de um C, com água no meio. A parte mais alta da ilha proporciona uma vista deslumbrante para a água do mar "dentro" desse C, dessa baía, ou melhor da tal "caldeira". Desculpem a explicação meio tosca, mas eu sou péssima em geologia e etc...

Quando eu estava pesquisando hospedagem em Santorini, vi vários blogs dizendo que eu tinha que ficar num hotel que tivesse vista para a caldeira, mesmo que isso significasse pagar mais caro. Eu sou acostumada a ficar em albergues e em hotéis mais baratinhos, e a vista nunca é uma das minhas prioridades quando viajo. Mas dessa vez, depois de tantos avisos insistentes em blogs, resolvi que valia a pena investir num hotel mais caro do que estou habituada a pagar para poder desfrutar da vista da caldeira na hora que eu bem entendesse. E pagamos bem mais caro mesmo: 110 euros a diária, o dobro do que pagaríamos em um quarto de um hotel sem vista.

Mas antes de eu falar do meu hotel, devo explicar uma coisa para você. Vários "bairros" de Santorini têm vista para a caldeira. Eu digo "bairros" entre aspas porque na verdade, não são bairros, são cidades, mas eles são tão pequenos que parecem bairros. O "bairro" mais famoso com vista para a caldeira é Oía, que tem o pôr-do-sol mais famoso de Santorini. As fotos dos cartões postais da ilha são feitas lá. Mas Oía tem dois inconvenientes: fica numa ponta da ilha, afastada de tudo, e é a região mais cara para se hospedar. Por isso, desisti de encontrar hotel lá.

Além de Oía, os "bairros" de Imerovígli, Firostefani e Fira têm vista para a caldeira. Fira é a capital da ilha, e tem um centrinho lindinho, cheio de lojas e restaurantes. Nós ficamos em Imerovigli, que é bem menor (tem uns 4 restaurantes e uns dois mercadinhos), mas estava bem mais barata.

A caldeira de Santorini e as construções da ilha, vistas de Imerovigli. Foto: Marcelle Ribeiro


Achar hospedagem em Santorini foi uma das tarefas mais difíceis do planejamento da viagem. Tudo é caro! E não se deixe enganar pelos anúncios de "vista para o mar" dos sites dos hotéis. "Vista para o mar" não necessariamente quer dizer "vista para a caldeira". É que as praias da tal "vista para o mar" ficam no arco oposto da ilha. O "mar" dos bairros de Perissa e Kamari fica numa área sem penhascos. Ou seja, o legal é ficar num hotel com "vista para a caldeira", pois essa sim é a vista deslumbrante.

Escaneei e marquei o melhor mapa que tenho de Santorini (do Lonely Planet) para vocês


Ficamos hospedados no hotel Nefeli Homes, por indicação de uma blogueira, a Caroline Guelber, do Vícios de Viagem. Apesar de o hotel tem uma vista linda da caldeira, não ficaria hospedada lá novamente. É que os travesseiros são extremamente desconfortáveis e eu e o maridão dormimos muito mal lá. A decoração dos quartos (que não aparece no site do hotel) é bem antiguinha e cafoninha. Nosso quarto era quase uma "casinha": tinha varanda privativa, sala, cozinha equipada, banheiro e num mezanino, o quarto. Mas o sofá fedia um pouco a mofo. O café da manhã é simples e servido na varanda do hotel, com vista para a caldeira: torradas, queijo contadinho (são poucas fatias!), iogurte caseiro (delicioso!), mel, manteiga, suco de laranja industrializado, bolo industrializado, café e chocolate quente.

O hotel só tinha duas funcionárias: a arrumadeira e a recepcionista, que falava um inglês péssimo, apesar de ser simpática. A piscina é pequenininha e com poucas cadeiras adequadas para tomar um sol, mas deu para o gasto. Usei a piscina duas vezes, no fim de tarde e ela era praticamente só minha.

A piscina com vista para a caldeira do nosso hotel. Foto: Guilherme Calil


Maridão esperando o café da manhã na varanda do hotel. Foto: Marcelle Ribeiro
 


Como eu disse, pagamos uns 110 euros na diária.

O hotel tem vista para a caldeira, mas não dá para ver o pôr-do-sol de lá, por causa das construções em volta. Mas andamos uns 5 minutos e vimos o pôr-do-sol de uma igreja avarandada em Imerovigli mesmo. É um lugar menos lotado que as varandas de Oía, mas não menos bonito.

E foi isso que fizemos no dia em que chegamos em Santorini, na tarde do dia 6 de junho, após 2h30 de viagem de barco rápido desde Mykonos: largamos as malas no quarto e fomos correndo ver o sol se pôr em Imerovigli. Encontramos até um casal de brasileiros vestidos de noivos tirando fotos!

As casinhas brancas em Imerovigli, em Santorini. Foto: Guilherme Calil

Pôr-do-sol em Imerovigli, em Santorini. Foto: Marcelle Ribeiro


Maridão e o pôr-do-sol em Imerovigli, em Santorini. Foto: Marcelle Ribeiro

No próximo post, eu falarei sobre aluguel de carro e as praias de Santorini, ok?

Veja a lista de todos os posts sobre a Grécia

 

2 comentários:

Carol Tavares disse...

Muito rico seu blog!!Já está na minha lista de blogs!!
Parabéns!!
Bjos
Carol Tavares

http://voyagebycaroltavares.blogspot.com.br/

Aline Marinho disse...

e em qual hotel vc ficou? achei lindas demais suas fotos